10 dicas para não sofrer o síndorme pós-férias

Rate this post

Você reparou que o síndrome pós-férias se está tomando conta de você? Este ano, ajudamos a esquivarlo ou superá-lo sem muitos efeitos colaterais.


O outono está relacionado sempre com a melancolia, o fim do bom tempo, dias mais curtos e o regresso às rotinas diárias. Estes dias você acha que você adoraria viver em um verão de férias permanente, não é? Falso. As estatísticas dizem que oshabitantes dos trópicos não são mais felizes.


No entanto, sobretudo nas grandes cidades, o stress , os horários apertados, as multidões o transporte e as longas horas de trabalho passam fatura, o nosso humor. Calcula-Se que até 35% sofrem algum tipo de crise pós-férias , segundo a Sociedade Portuguesa de Neurologia.


não É uma doença


A primeira coisa que há que deixar claro é que não estamos diante de uma doença como tal. Trata-Se de um transtorno transitório que pode durar até algumas semanas“, diz o doutor José Luis Marín, presidente da Sociedade Espanhola de Medicina Psicossomática e Psicoterapia.


Relacionado com este artigo


Memória


Existem métodos para conseguir evitar esse estado de ânimo ou que podem nos ajudar a resolvê-lo com maior rapidez. Em todo o caso, “há sempre que ter presente que, se passados três ou quatro meses, continuamos em um estado que interfere na nossa vida diária, há que recorrer ao especialista, pois pode tratar-se de uma depressão“, acrescenta o dr. Marin.


Chave para combater o stress pós-férias



  • Planeie a outra saída. Em vez de ver que falta um ano para voltar a ter umas longas férias, veja o seguinte ponte ou no dia em que te deixaste livre e planeja uma escapada especial. E se não, faça planos para o fim-de-semana seja encorajador.

  • Retoma o contato com os amigos. Lembre-se que o regresso ao colégio tinha algo de bom: voltar a ver os amigos. Os adultos não somos diferentes. Fica com os amigos, mesmo que seja só um pouco. As relações sociais sempre levantam o ânimo.

  • Olha a parte alegre da vida. Parece bobagem, mas em que caímos às vezes. Colocamos a tv para ver brigas a contertulios ou ver uma série dramática. Nada disso. Examinou os livros e filmes de humor. Procura motivos para rir.


  • Faça desporto. Não é necessário aderir a um centro de fitness. Lembre-se que basta com metas curtas, mas eficaz. Um passeio de meia hora a cada dia a um bom ritmo pode ser o suficiente. O esporte é uma forma de tirar stress e lembre-se de que libertar endorfinas, que ajudam a melhorar o humor. Também pode ser muito eficaz dançar.

  • Dorme pouco mais. Os neurologistas aconselham dormir as horas necessárias e até mesmo alargarlas um pouco. Isto é especialmente importante no caso de crianças, que têm que adaptar seus horários durante pelo menos uma semana antes. Na semana anterior ao início das aulas já devem retomar os horários anteriores ao período de férias, para que a mudança não é tão brusca.

  • Localize-se novos desafios. Os desejos e projetos que nos fazemos na virada do Ano já foi transferido para setembro. A gente aponta para academias, cursos ou se propõe metas de como perder os quilos que ganhou no verão, poupar para uma nova viagem ou encontrar um trabalho estável (principalmente os jovens). Nada disso é ruim, muito pelo contrário. As metas são uma boa forma de buscar sentido para o novo período que começa.

o que você pode fazer no trabalho


Durante as férias, usamos a visão distante e o olho fica mais relaxado. A volta ao trabalho, voltamos a forçar a vista. Expor muito os olhos os brilhos intensos das telas. Entre os sintomas do retorno ao computador encontram-se a irritação ocular, visão turva, secura ocular e dor de pescoço e ombros.



  • Dá pausas para os olhos. Desviar o olhar, durante meio minuto, a cada 20 ou 30 minutosenfocando a uma distância de pelo menos 6 metros. Quando colocamos toda a atenção na tela do seu computador ou tablet parpadeamos com menos frequência. Pisca com regularidade para evitar a secagem.

  • Preste atenção à luz. Melhor quanto mais horas desfrutar de luz natural. Mas evita os reflexos na tela. É aconselhável das fontes de luz ao lado da tela, não na frente ou em cima.

  • Faça uma lista de prós e contras de seu trabalho. Assim aclararás suas ideias, já que, normalmente, ficamos com o negativo. Talvez você se surpreenda em ver que há mais aspectos positivos do que pensou e não você é tão infeliz.

Os sintomas comuns do retorno



  • Cansaço. O sintoma mais claro é o do esgotamento embora não tenha feito nenhum esforço, a sonolência e o baixo ânimo.

  • Dor de cabeça. Também é freqüente, devido, em grande parte, à volta para o ruído, a poluição e a rigidez do horário, que nos obrigam a voltar a acordar cedo.

  • A insónia. A volta ao stress relacionado com o trabalho e as mudanças de horário podem também tirar de horas de sono.

  • Dificuldade de concentração e diminuição da libido. Duas consequências muito relacionadas com o anterior. Cansados e com falta de sono, não é fácil se concentrar, e se um está disperso não é que o sexo do casal é fácil.

  • Irritabilidade e tristeza. Fazem parte do coquetel psicológico do mal-estar. Também pode haver melancolia, falta de interesse, nervosismo e sensação de angústia.

  • Supressão de defesas. Geralmente, não há sintomas físicos como corrida, mas sim mais predisposição às infecções.

Todos estes sintomas são mais frequentes entre as mulheres do que os homens, porque se somam dois fatores que por si só causam a fadiga: a conciliação da vida laboral e familiar e a diminuição de estrogênio na menopausa.


Plantas que se movimentam


Da mesma forma que uma depre (tristeza passageira) não é uma depressão diagnosticada, nem este depressões pós-férias requer atenção médica (se não se prolonga no tempo e passa a ser, então sim, a depressão). Por isso, não requer medicação, mas de todas as formas, existem opções naturais que podem dar-lhe uma ajuda para recuperar essa falta de energia. Os mais comuns são:


Relacionado com este artigo


Mais natural



  • O ginseng tem virtudes de energia e reduz a fadiga. Potência da secreção de um hormônio, o cortisol, que exerce uma ação revitalizante. Por isso, é eficaz para reduzir situações de estresse emocional e falta de motivação.

  • A schisandra relaxa a tensão nos olhos. São utilizadas as suas bagas vermelhas, desidratadas. Atua como um eficaz relaxante muscular, ajuda a distender a musculatura facial e combate a fadiga ocular.

Antes de tomar fitoterapia também deve informar-se adequadamente , já que existem plantas que podem interferir em outras patologias que você já tem ou certos medicamentos que esteja a tomar.


E se o problema são as férias?


Nos últimos anos, verificou-se que esta síndrome pode ter outra origem. Na grande maioria dos casos, não ocorrem por saudade de umas férias idílicas, senão todo o contrário. “É o ter posto muitas expectativas no verão, que então não se cumpriram. –explica o doutor.–. Vivemos em um postureo. Esforçamo-Nos parecer muito felizes nas redes sociais pendurado fotos de uma viagem de sonhos que não foi tanto.


Temos viajado poucos dias, saiu caro e o destino estava lotado de pessoas. Além disso, as brigas de casal, tem sido constante. Neste caso, a emoção que mais nos afeta, ao voltar para a rotina é a raiva e não uma descida de ânimos. “É necessário ser mais sinceros com nós mesmos, para assumir a realidade do problema“, conclui o doutor Moreira.


Deixe uma resposta